PARANOÁ recebe espetáculo de SÃO PAULO em agosto

Espetáculo chega ao DF para um final de semana de apresentações. Além da peça, haverá também oficina artística dentro do Festival Cena Contemporânea.

O Grupo XIX de Teatro vai circular pelas cidades de Goiânia, Brasília e Rio de Janeiro com o espetáculo Teorema 21. Com direção de Luiz Fernando Marques e dramaturgia de Alexandre Dal Farra (indicado ao Prêmio APCA em 2014), o espetáculo é livremente inspirado na obra Teorema, do italiano Pier Paolo Pasolini (1922-1975). Cineasta, escritor e poeta, Pasolini é considerado um artista visionário e fazia duras críticas ao consumismo. Em Brasília, o grupo apresentará o espetáculo e oferecerá uma oficina artística aberta a atores, diretores e dramaturgos.

A OBRA
Uma família retorna ao seu antigo lar. Ao buscar encontrar novas possibilidades de existência nesse ambiente antigo, recriam as suas relações e experimentam novas formas de contato. O núcleo familiar é constituído por um patriarca, a mãe, o filho e a filha. Vive na casa, ainda, a criada Emília. Tudo parece estável. Mais do que isso, estagnado. A chegada de um estrangeiro ameaça transformar a estrutura dessa família. A trama se passa na casa onde a família morou há alguns anos e agora volta sem nenhum motivo aparente. A montagem é sempre encenada ao entardecer em espaços não convencionais, preferencialmente abandonados ou deteriorados pelo tempo. Ao entrar no espaço e ocupar as cadeiras giratórias dispostas aleatoriamente, o público é inserido no interior da sala de estar e pode girar as cadeiras para escolher o melhor ângulo para cada cena. A apresentação em Brasília fará parte do Cena Contemporânea – 15º Festival Internacional de Teatro de Brasília

A EQUIPE
Ao ler o livro de Pasolini, Alexandre Dal Farra se deparou com a questão: Qual seria um possível teorema para os tempos atuais? “Não se trata de pensar sobre as alterações das relações familiares, mas sim, nas mudanças na dinâmica do próprio capital, e na sua relação com a ideologia. O capitalismo ainda precisa de ideologia? Talvez essa seja a questão central da peça, ao meu ver”, explica Dal Farra.

Para Luiz Fernando Marques a peça é a tentativa de falar sobre um mal estar geral que estamos vivendo. “A obra de Pasolini é muito importante, muito presente na peça, é a alegoria da burguesia. Só que no início dos anos 60 essa burguesia estava assentada numa classe e de certa forma representada pela estrutura familiar. Em Teorema 21 é como se essa classe burguesa, ou essa ideologia tivesse se esparramado para todas as classes. E esse sistema, essa engrenagem gira em qualquer lugar, seja dentro da família, dentro de um partido político ou até mesmo dentro de um grupo de teatro. O estrangeiro chega para romper com esse sistema, mas a engrenagem se mostra forte o suficiente para se impor perante ele.”, comenta.

Para o diretor a peça poderia se passar em qualquer cidade do mundo: “A burguesia é igual em todos os lugares. Temos a sensação de que esse capital mesmo desgastado, em crise não consegue ser desmontado. Ele não se destrói, ele permanece.”.

Teorema 21, parte ainda de outras referências como os filmes Dente Canino (Giorgos Lanthimos, 2009), Funny Games (Michael Haneke, 1997) e o Saló (1975), do próprio Pasolini. Saló foi o último e um dos seus mais polêmicos filmes. Numa entrevista publicada seis dias após seu assassinato, Pasolini disse ao jornalista: “Pretendo que você olhe em torno e se dê conta da tragédia. Qual é a tragédia? A tragédia é que não existem mais seres humanos, existem estranhas máquinas que se batem umas contra as outras.”.

PROCESSO COLABORATIVO
Luiz Fernando Marques ressalta a contribuição e as diferenças de processo de cada peça. “Em Teorema 21, trabalhamos juntos desde o inicio do projeto, com revisões no texto, mudanças, experimentação das cenas. A escrita e o olhar do Alexandre me interessam muito. Ele entende a dinâmica do Grupo XIX, até por fazer parte de um grupo também, e tem se revelado um parceiro importante. Trabalhamos de maneira muito orgânica. Destaco também o envolvimento no trabalho dos atores, que além da participação no processo exercem outras funções como a criação dos figurinos de Juliana Sanches e o cenário de Rodolfo Amorim”.

A OFICINA
“Dispositivos de trabalho do Grupo XIX de Teatro”

O grupo XIX de teatro em seus 18 anos de trajetória tem sua pesquisa baseada na exploração de espaços não convencionais, na participação do público e no modo colaborativo de gerar dramaturgia. Para o trabalho da oficina, Janaina Leite e Luiz Fernando Marques propõem uma imersão a partir de alguns procedimentos utilizados pelo grupo durante a criação da peça Teorema 21, livre adaptação do filme e livro homônimos de Pier Paolo Pasolini. O trabalho com fontes heterogêneas para a criação dramatúrgica, assim como dinâmicas relacionais com espaços alternativos, explora vetores como o muito próximo e o muito distante. Esses são exemplos de princípios que serão norteadores para a oficina.

O Projeto Teorema 21 tem o patrocínio do Programa Petrobras Distribuidora de Cultura. Este Programa é uma seleção pública que tem como objetivo contemplar projetos de circulação de espetáculos teatrais não inéditos, em parceria com o Ministério da Cultura. No último edital foram investidos R$ 15 milhões. Ao todo, foram escolhidos 57 espetáculos, representantes de todas as regiões do País, com apresentações em todos os estados.

TEOREMA 21 – Apresentação
Dias: 29 e 30 de agosto – quinta e sexta –  16h 
Local: Quadra 33 Área especial S/N, Paranoá, DF

Classificação: 18 anos

Ingressos: R$20 e R$10 (meia entrada)

*Serão vendidos antecipadamente 50 ingressos, somente no Espaço Cena (SCLN 205 Bloco C), entre os dias 21 e 28 de agosto, das 10h às 13h e das 15h às 17h. Haverá uma reserva de 15 ingressos que serão vendidos no local do espetáculo (próximo da Escola Classe 6 do Paranoá). Para os que preferirem, haverá um ônibus saindo do Espaço Cena às 15h15. Pelas características da peça, o ingresso será válido até às 15h do dia do espetáculo.

TEOREMA 21 – Oficina 
Dias 30 e 31 de agosto: Oficina de interpretação e dramaturgia com o Grupo XIX de Teatro 
Dia 29 de agosto: Encontro com grupos e artistas locais.  As datas e horários do encontro e oficina serão definidas pela equipe do Cena.

Informações: 61 98115-5205 (Diego Borges)

Copyright© 2018 | Gazeta Brasília - Jornal Online de Brasília | contato@GazetaBrasilia.com.br