Geral

Dia da Prevenção e Combate à Surdez (10): cuide da sua audição

A data alerta a população sobre a importância da saúde auditiva

Com elevados ruídos sonoros em que a população está exposta atualmente, nada mais importante do que alertar sobre saúde auditiva. Por isso, 10 de novembro, é o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez. Condição que, de acordo com pesquisa feita pelo Instituto Locomotiva e a Semana da Acessibilidade Surda, existem 10,7 milhões de pessoas com a deficiência no Brasil. Do total, 2,3 milhões são casos severos. 

Os dados ainda mostram que 9% dos entrevistados nasceram com a deficiências, porém 91% adquiriram ao longo da vida. Do total de pessoas que participaram da pesquisa, 87% não utiliza aparelho auditivo. Para Mariluce Cordeiro, responsável pela Microsom Brasília, muitas vezes, os pacientes não utilizam por preconceito e a audição é um dos fatores primordiais para a comunicação.  Inclusive, ela explica que, atualmente, a tecnologia pode ser uma grande aliada para melhorar a qualidade de vida de quem vive com a deficiência.

“Muitas vezes, a pessoa tem a prescrição para utilizar o aparelho auditivo, mas tem vergonha, o que pode prejudicar ainda mais a saúde e os relacionamentos interpessoais do paciente. E ao passar dos anos a falta de estímulo do cérebro pode ocasionar outras doenças, como a demência”, afirma.

Mariluce ressalta ainda que os avanços dos aparelhos auditivos têm sido muito importantes, beneficiando cada vez mais a saúde dos usuários “Ter um aparelho auditivo não é questão de conforto ou luxo, trata-se de uma oportunidade para que os deficientes auditivos se comuniquem melhor e consigam manter suas interações sociais”, explica. Este é o caso dos dispositivos com inteligência artificial, como o VIA AI, lançado recentemente em Brasília. Ele  tem funções similares às da mente humana.

A tecnologia é capaz de captar o áudio com mais eficiência, detectar quedas e monitorar dados físicos e cognitivos do usuário, frequência cardíaca, movimentos realizados, entre outros. Até tradução simultânea de 27 idiomas o aparelho realiza. E tudo isso pode ser monitorado por um aplicativo, chamado Thrive.

Prevenção

O fonoaudiólogo Gleison Barcelos dá dicas de como manter a saúde auditiva em dia. Entre elas, não introduzir objetos (nem bastonete) no ouvido. Outro alerta é sobre gripes e otites “As infecções mal curadas podem ocasionar a perda auditiva”, explica o especialista.

Ele ainda faz um alerta em relação a exposição excessiva a ruídos, como cortadores de gramas e músicas muito altas. “Não só os adultos devem tomar cuidado. O nível de barulho dos brinquedos para bebês deve ser monitorado, pois eles têm a audição mais aguçada. Sendo assim, correm mais risco”, afirma. 

Além disso, de acordo com o especialista, nos últimos anos houve um aumento expressivo da quantidade de jovens com perda auditiva “Este é um reflexo do uso irregular de fones de ouvido e, se não houver cuidado, pode levar à perda auditiva irreversível”, conclui Gleison.